OS FUNDAMENTOS DO ESCOTISMO

Definição do Escotismo

O Escotismo é um movimento educacional de jovens, sem vínculo a partidos políticos, voluntário, que conta com a colaboração de adultos, e valoriza a participação de pessoas de todas as origens sociais, etnias e credos, de acordo com seu Propósito, seus Princípios e o Método Escoteiro, concebidos pelo Fundador Baden-Powell e adotados pela União dos Escoteiros do Brasil.

​O Propósito do Escotismo

Desde sua concepção inicial, até os dia de hoje, o objetivo do Escotismo é contribuir, por meio de suas atividades, com o desenvolvimento da educação integral dos jovens. Nos documentos oficiais da UEB - União dos Escoteiro do Brasil está descrito que o Propósito é "contribuir para que o jovem assuma o seu próprio desenvolvimento, especialmente do caráter, ajudando-os a realizar suas plenas potencialidades físicas, intelectuais, sociais, afetivas e espirituais, como cidadãos responsáveis, participantes e úteis em suas comunidades, conforme definido pelo Projeto Educativo"

A primeira missão dos Chefes é garantir que as atividades da Tropa caminhem em direção a este Propósito, ou seja, preservar o seu conteúdo educativo.

Os Princípios

Os princípios do Escotismo são definidos na sua Promessa e Lei Escoteira, formam a base moral, que é aceita por todos os participantes do Movimento e que se ajusta aos diferentes graus de maturidade. Esses valores devem ser vivos e presentes no dia a dia, como uma referência positiva que motive os jovens a incorporá-las como seus.

Para o Escotismo, como Fraternidade Mundial, os Princípios estão definidos em três pontos:

a) Deveres para com Deus – adesão a princípios espirituais e vivência ou busca da religião que os expresse, respeitando as demais;

b) Deveres para com o próximo – lealdade ao nosso País, em harmonia com a promoção da paz, compreensão e cooperação local, nacional e internacional, exercitadas pela Fraternidade Escoteira. Participação no desenvolvimento da sociedade com reconhecimento e respeito à dignidade do ser humano e ao equilíbrio do meio ambiente;

c) Deveres para consigo mesmo – responsabilidade pelo seu próprio desenvolvimento.

Promessa Escoteira

A Promessa Escoteira é o alicerce do Movimento Escoteiro, em que se sintetiza o embasamento moral o Escotismo. Nesse momento, os membros se comprometem voluntariamente a viver de acordo com a orientação da Promessa.

A Promessa Escoteira - prestada por escoteiros, escoteiras, seniores, guias, pioneiros e pioneiras durante a “Cerimônia de Promessa” é a seguinte:


“Prometo, pela minha honra, fazer o melhor possível para: cumprir meus deveres para com Deus e minha Pátria; ajudar o próximo em toda e qualquer ocasião; e, obedecer à Lei Escoteira.”

Promessa do Lobinho

A Promessa do Lobinho, prestada por lobinhos e lobinhas durante a “Cerimônia de Promessa”, possui o seguinte texto:


“Prometo fazer o melhor possível para: cumprir meus deveres para com Deus e minha Pátria;
obedecer à Lei do Lobinho e fazer todos os dias uma boa ação.”


 

Promessa de Adultos

Os escotistas e dirigentes, na cerimônia de Promessa ou na posse de um cargo, prestarão a Promessa Escoteira da seguinte maneira:


“Prometo, pela minha honra, fazer o melhor possível para: cumprir meus deveres para com Deus e minha Pátria; ajudar o próximo em toda e qualquer ocasião; obedecer à Lei Escoteira, e servir a União dos Escoteiros do Brasil”.

A diferença da promessa do adulto para promessa do jovem é o acréscimo termo "e servir a União dos Escoteiro do Brasil"

Promessa de Estrangeiros

Os estrangeiros prestarão a Promessa da seguinte maneira:


Promessa do Lobinho:
“Prometo fazer o melhor possível para: cumprir meus deveres para com Deus, minha Pátria e o Brasil; obedecer à Lei do Lobinho e fazer todos os dias uma boa ação.”


Promessa Escoteira:
“Prometo, pela minha honra, fazer o melhor possível para: cumprir meus deveres para com Deus, minha Pátria e o Brasil; ajudar o próximo em toda e qualquer ocasião; e, obedecer à Lei
Escoteira.”


Promessa de Adultos:
“Prometo, pela minha honra, fazer o melhor possível para: cumprir meus deveres para com Deus, minha Pátria e o Brasil; ajudar o próximo em toda e qualquer ocasião; obedecer à Lei Escoteira, e servir a União dos Escoteiros do Brasil”.

Lei Escoteira

Quando Baden-Powell idealizou a Lei Escoteira, ele decidiu não estabelecer leis proibitivas, mas criar conceitos para formação de pessoas bondosas e de caráter, para que, desta forma, o jovem escoteiro tivesse onde se espelhar e pudesse se orientar.
A Lei Escoteira tem dez artigos que abordam conceitos como honra, integridade, lealdade, presteza, amizade, cortesia, respeito e proteção da natureza, responsabilidade, disciplina, coragem, ânimo, bom-senso, respeito pela propriedade e autoconfiança.

  1º. O escoteiro tem uma só palavra, sua honra vale mais que sua própria vida;

"A honra para um escoteiro é ser digno de toda confiança. Como escoteiro, nenhuma tentação, por maior que seja, irá persuadi-lo a praticar uma ação desonesta, mesmo muito pequena. Você não voltará atrás a uma promessa, uma vez feita. A palavra de um escoteiro equivale a um contrato. Para um escoteiro, a verdade, e nada mais que a verdade." Baden-Powell

  2º. O escoteiro é leal;

"O escoteiro é leal à Pátria, à Igreja, às autoridades do governo, aos seus pais, seus chefes, seus patrões e aos que trabalham como seus subordinados. Como um bom cidadão, você é de uma equipe, jogando o jogo honestamente, para o bem do conjunto. Além disso, você é leal também a si mesmo; você não quer diminuir seu respeito a si mesmo jogando mal de propósito; nem vai querer decepcionar ou ficar em falta com outro homem, nem, tampouco, com outra mulher." Baden-Powell

  3º. O escoteiro está sempre alerta para ajudar o próximo e pratica diariamente uma boa ação;

"O dever do escoteiro é ser útil e ajudar a todos. Como escoteiro, seu mais alto objetivo é  servir. Você deve merecer a confiança de que, em qualquer ocasião, estará pronto a sacrificar tempo, trabalho, ou, se necessário, a própria vida pelos demais. O sacrifício é o sal do serviço." Baden-Powell

  4º. O escoteiro é amigo de todos e irmão dos demais Escoteiros;

"É amigo ou irmão, não importando a que país, classe ou credo o outro possa pertencer. Como escoteiro, você reconhece as demais pessoas como sendo, com você, filhos do mesmo Pai, e não faz caso de suas diferenças de opinião, casta, credo ou país, quaisquer que elas sejam. Você domina os próprios preconceitos e procura encontrar as boas qualidades que tenham; o defeito deles qualquer um pode criticar. Se você põe em prática esse amor pelas pessoas de outros países e ajuda a fazer surgir a paz e a boa vontade internacionais, isto será o Reino de Deus na terra. O mundo inteiro é uma fraternidade." Baden-Powell

  5º. O escoteiro é cortês;

"Como os antigos cavaleiros, você, sendo um escoteiro, é, sem dúvida, polido e atencioso com as mulheres, velhos e crianças. Mas, além disso, você é polido mesmo com aqueles que estão contra você. Aqueles que têm razão, não precisam perder a calma; aqueles que não têm razão, não podem se dar ao luxo de perdê-la." Baden-Powell

  6º. O escoteiro é bom para os animais e as plantas;

"Você reconhecerá como companheiras as outras criaturas de Deus, postas, como você, neste mundo, durante certo tempo, para gozar suas existências. Maltratar um animal é, portanto, um desserviço ao Criador. Um escoteiro deve ter um grande coração." Baden-Powell

  7º. O escoteiro é obediente e disciplinado;

"O escoteiro obedece, de boa vontade, sem vacilar, às ordens de seus pais, monitores e escotistas. Como escoteiro, você se disciplina e põe-se, profunda e voluntariamente, às ordens das autoridades constituídas, para o bem geral. A comunidade mais feliz é a comunidade mais disciplinada; a disciplina, porém, deve vir do íntimo, e nunca ser imposta de fora. Por isso, tem um grande valor o exemplo que você der aos demais nesse sentido." Baden-Powell

  8º. O escoteiro é alegre e sorri nas dificuldades;

"Como escoteiro você será visto como o homem que não perde a cabeça e que aguenta qualquer crise com ânimo alegre, coragem e otimismo." Baden-Powell

  9º. O escoteiro é econômico e respeita o bem alheio;

"Como escoteiro, você olhará para o futuro e não irá dissipar tempo e dinheiro com prazeres do momento, mas, ao contrário, fará uso das oportunidades do momento tendo em vista o futuro sucesso. Você fará isso com a ideia de não ser um ônus, mas uma ajuda para os demais." Baden-Powell

10º. O escoteiro é limpo de corpo e alma.

"O escoteiro é limpo em pensamento, palavra e ação. Como escoteiro, espera-se que você tenha não só uma mente limpa, como também uma vontade limpa; seja capaz de controlar quaisquer tendências intemperadas do sexo; dê um exemplo aos demais sendo puro, franco, honesto em tudo que pensa, diz ou faz" Baden-Powell.

Lei do Lobinho

A Lei do Lobinho, composta por cinco artigos, é a seguinte:

 

  1. O Lobinho ouve sempre os Velhos Lobos.

  2. O Lobinho pensa primeiro nos outros.

  3. O Lobinho abre os olhos e os ouvidos.

  4. O Lobinho é limpo e está sempre alegre.

  5. O Lobinho diz sempre a verdade.

O Método

O Método Escoteiro é um sistema de progressão que tem a intenção de estimular as capacidades e interesses de cada jovem. Isso acontece através de desafios a serem superados, da vivência de aventuras, do incentivo a exploração, a realização de descobertas, a experimentar coisas novas, inventar e desenvolver a capacidade de achar soluções; mas sempre respeitando individualmente os limites de cada jovem.
Esse sistema de progressão depende da combinação de cinco elementos para acontecer.

O Método Escoteiro, com aplicação planejada e avaliada sistematicamente nos diversos níveis do Movimento, caracteriza-se pelo conjunto dos seguintes pontos:


I) Aceitação da Promessa e da Lei Escoteira - todos os membros assumem, voluntariamente, um compromisso de vivência da Promessa e da Lei Escoteira.

A partir do momento que se realiza a Promessa Escoteira, se aceita a Lei e se firma um compromisso de vida, um código de ética, de comportamento. A aceitação da Lei e da Promessa são feitas voluntariamente, mas a partir do momento que isso acontece, se espera um esforço para viver de acordo com seus significados.


II) Aprender fazendo - educando pela ação, o Escotismo valoriza:

- O aprendizado pela prática;
- O desenvolvimento da autonomia, baseado na autoconfiança e iniciativa;
- Os hábitos de observação, indução e dedução.

O aprendizado pela prática é uma das bases do Movimento Escoteiro. Os jovens são incentivados a desenvolverem suas habilidades pela ação, valorizando o treinamento para autonomia baseado na autoconfiança e iniciativa, observando os erros como parte da jornada, fonte de aprendizagem, já que são um passo em busca do acerto.


III) Vida em equipe - denominada nas Tropas de “Sistema de Patrulhas”, incluindo:

- A descoberta e a aceitação progressiva de responsabilidade;
- A disciplina assumida voluntariamente;
- A capacidade tanto para cooperar como para liderar.

Desde o ingresso em um grupo escoteiro, a vida em equipe passa a fazer parte da realidade do escoteiro. Esse convívio possibilita a descoberta progressiva de responsabilidade e prepara o autocontrole, além de desenvolver a capacidade tanto para liderar quanto para cooperar.


IV) Atividades progressivas, atraentes e variadas compreendendo:

- Jogos;
- Habilidades e técnicas úteis, estimuladas por um sistema de distintivos;
- Vida ao ar livre e em contato com a natureza;
- Interação com a comunidade;
- Mística e ambiente fraterno.

É por meio das atividades que alcançamos nosso propósito, que podemos oferecer aos jovens experiências únicas e agregadoras. Mas para que isso aconteça durante toda a vida escoteira, é necessário que sejam observadas as características, anseios e necessidades de cada faixa etária, resultando, assim, em um planejamento próprio para cada Ramo, assegurando o interesse e envolvimento do escoteiro.
Os jovens vão ao grupo para se divertir ao lado de amigos; nós utilizamos as atividades para auxiliá-los em seu autodesenvolvimento e educação. A programação dessas atividades leva em conta um sistema progressivo, em termos de exigência de práticas, habilidades e amadurecimento, oferecendo desafios e aventuras conforme sua evolução e vivência. As atividades escoteiras compreendem jogos, capacitação em técnicas úteis estimuladas por um sistema de distintivos, vida ao ar livre, integração com a comunidade, entre outros, tudo isso em um ambiente fraterno.


V) Desenvolvimento pessoal com orientação individual, considerando:

- A realidade e o ponto de vista de cada criança, adolescente ou jovem;
- A confiança nas potencialidades dos educandos;
- O exemplo pessoal do adulto;
- Seções com número limitado de jovens e faixa etária própria.

A evolução de cada jovem é acompanhada individualmente por um adulto voluntário, que identifica suas qualidades e deficiências a fim de orientá-lo da melhor forma, criando oportunidades para que ele se desenvolva e se supere cada vez mais. Além disso, o voluntário e o jovem criam uma relação de amizade e confiança, o que permite identificar e trabalhar pontos comportamentais com mais facilidade.

Programa Educativo

O Programa Educativo visa atender o Propósito, os Princípios e o Método Escoteiro, pontos fundamentais para a prática do Escotismo. Nove princípios fundamentais garantem o sucesso do Programa:

 

• Atualização: resultado de reflexões constantes sobre as práticas educativas;

• Relevância: leva em conta as características culturais, sociais, políticas e econômicas da sociedade;

• Significância: considera atender os interesses e necessidades dos jovens;

• Protagonismo juvenil: coloca o jovem como centro do processo educativo;

• Para todos: precisa adaptar-se às diferentes realidades, atendendo jovens de todos os segmentos da sociedade;

• Educa para a vida: deve dar oportunidade para que os jovens cresçam como pessoas, de maneira progressiva;

• Unidade na diversidade: embora se adapte às distintas realidades, o Programa Educativo mantém sua unidade;

• Autonomia progressiva: dá espaço para que os jovens participem dos processos de tomada de decisões;

• Vinculado com a realidade: os conteúdos do Programa devem estar conectados com as frequentes mudanças da sociedade e adequados à realidade de cada ambiente.

 

 

Além disso, sete elementos completam o Programa Educativo, abordado de forma ampla nos Manuais do Escotista de cada Ramo:

 

• Organização em Ramos: adapta o Método Escoteiro às necessidades e características de cada faixa etária;

• Áreas de desenvolvimento: estabelece seis áreas de desenvolvimento: social, afetivo, de caráter, intelectual, espiritual e físico;

• Objetivos educativos e competências: confere coerência, continuidade e complexidade crescente ao processo educativo;

• Sistema de progressão pessoal: estimula os jovens a assumir a responsabilidade por seu próprio desenvolvimento;

• Instâncias democráticas de tomada de decisão: possibilita que os jovens participem dos processos de tomada de decisão em cada Ramo;

• Planejamento participativo de atividades: permite que os jovens participem junto com os adultos educadores do processo de planejamento, execução e avaliação das atividades;

• Atividades educativas: oferece aos jovens a possibilidade de adquirir conhecimentos, habilidades e atitudes correspondentes aos objetivos educativos.

 

Confira o Projeto Educativo, documento que contém as Definições do Escotismo, nosso Propósito, Princípios e Método Educativo.

Voltar ao Topo          Voltar a Página Inicial

Baixar Especialidades
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
P.O.R.

© 2017 por 11º Grupo Escoteiro Siqueira Campos. Orgulhosamente criado por Othon Ferreira Baptista

  • w-facebook